Aprendendo com o Tato

Postado em 23/08/2013 por Renata Terra.

Com informações de Professoras dos 4ºs PEDI´S, Rosiana Sobreira e Ana Stela Senna.

Visualizado 1316 vezes.


As turmas do 4º PEDI estudaram sobre o tato e descobriram que, com as mãos, podemos tocar e sentir tudo o que está ao nosso redor. Descobriram também que as pessoas que têm deficiência visual têm o sentido do tato e da audição mais apurados e, assim, vão superando as dificuldades causadas pela perda total ou parcial da visão.

 

No módulo educativo, os alunos conheceram a história de dois personagens que representam crianças com deficiência visual em situações diferenciadas: João e Lili.

 

O menino João teve um problema na visão e não consegue enxergar, então, usa o tato para perceber e identificar os objetos. Além disso, João gosta de jogar de futebol e, para isso, ele usa a audição, pois a bola usada por ele possui guizos dentro dela.

 

Já a menina Lili tem pouca visão e gosta de contar histórias para os amigos. Para ler, ela usa a ponta dos dedos em sinais salientes que representam letras. Esse sistema de escrita e leitura se chama Braille, inventado pelo francês Louis Braille, que perdeu a visão aos três anos e, aos sete, ingressou no Instituto de Cegos de Paris, em 1827. Então, com dezoito anos, tornou-se professor desse instituto.

 

As histórias das personagens João e Lili impressionaram as crianças e causaram curiosidades sobre o sistema de leitura com o tato, para cegos, que foi experienciado pelas crianças por meio de diferentes atividades, como a leitura de um livro em Braille, a exploração do alfabeto em Braille e a leitura de rótulos de embalagens que contêm a escrita em Braille.