Artistas/Alunos Renascentistas

Postado em 04/09/2013 por Renata Terra.

Com informações de Professor de História, Luan Tófano Elias.

Visualizado 915 vezes.


No Dia 29 de Agosto de 2013 (quinta feira), os alunos dos sétimos anos do Centro Educacional São Camilo tiveram um momento cultural para refletir e aprender, através da Arte, um pouco do Período Histórico chamado Renascimento - que marca o início da Idade Moderna europeia (século XVI a XVIII) -, conteúdo que está sendo trabalhado na disciplina de História, ministrada pelo professor Luan Elias.

 

Nesse momento cultural, a missão dos alunos era "se transformar em um artista renascentista", e produzir um estilo (teatro, música, poesia, etc) que abordasse o tema de forma artística, contendo as características do movimento - como a crítica à soberania da Igreja Católica, à centralização do poder, a formação dos Estados Nacionais, o antropocentrismo, a  valorização da razão, ciência, matemática, etc.

 

Foi uma aula extremamente dinâmica, em que os alunos utilizaram da imensa criatividade que têm para fazer entender com mais clareza e abstração as características do Movimento Renascentista.

 

Diversas atividades interessantes foram produzidas por eles: Como a apresentação da Música "Fátima" com a banda formada pelos alunos do 7ºM1: com Rafael Bonadiman e Luciano André nos violões, Cícero no vocal, Pedro Ivo no baixo e Giuseppe no Cajón; as lindas  poesias "Ó Bela Senhora" de autoria das alunas do 7ºM2, e outra das alunas do 7ºM1; uma paródia com a música "Vagalumes" dos alunos do 7ºM2 e, até, um desfile de moda, com as alunas do 7ºM1. Além disso, algumas alunas desta mesma turma deram vida à algumas obras de arte dos mais famosos artistas do Renascimento - a Monalisa de Leonardo da Vinci, O Anjo de Rafael Santi, e a escultura Pietá de Michelangello, onde as próprias obras explicavam seu significado.

 

Segundo o professor, "a melhor forma de se entender a História, é vivenciando-a", e nada melhor do que a arte para que essa vivência seja sentida na cabeça e no coração de quem a estuda.