Vivenciando e debatendo a História

Postado em 01/10/2015 por Gilliane Correia Wichello.

Com informações de Prof. Rodrigo de Bruim Matos .

Visualizado 633 vezes.


Nesta unidade, os sétimos anos tiveram a oportunidade de conhecer a Idade Média de forma diferente. Vimos que este período da História é dividido em duas fases: Alta Idade Média, marcada pela independência dos feudos, baixa circulação da moeda, servos presos a terra, fechamento do mar Mediterrâneo, entre outros; Baixa Idade Média, marcado pela melhoria das técnicas de cultivo de alimentos, produção de excedentes, cruzadas, renascimento comercial e urbano, nascimento da burguesia, peste negra etc.

 

Esse período da História foi identificado por alguns historiadores como a “Idade das Trevas”, pois, segundo eles, foi uma época com pouco desenvolvimento cultural, técnico e científico, muito devido à forte influência da Igreja Católica.

O desafio proposto aos alunos foi provar, através de uma exposição cultural, e um debate, que estes historiadores estavam totalmente errados. Mas para a realização desta desafiante tarefa foi preciso unir forças. Juntamos as disciplinas de História, com o professor Rodrigo de Bruim, Artes, com Rodrigo Abras, e Língua Portuguesa e Produção de Texto, com a professora Vanessa Juriatto. Nosso objeto, junto com os alunos, foi provar e apresentar o contrário sobre este rico período da História. E conseguimos.

 

Cada sétimo ano foi divido em 6 grupos para que cada grupo executasse uma tarefa de acordo com os seguintes temas: Arquitetura, Artes, Literatura, Tecnologia, Cotidiano. Um sexto grupo de cada turma foi formado para realização de um debate sobre o seguinte questionamento: Quem deve ser dono de Jerusalém? Islâmicos ou Cristãos? O grupo vencedor foi dos Islâmicos, pois foi o que melhor conseguiu articular os argumentos defendendo seu ponto de vista, apesar de os dois grupos terem realizado de forma perfeita a atividade proposta. Mas a proposta desta atividade foi também entender que independente da profissão de fé ou cultura as diferenças devem ser respeitadas, e que nada justifica a violência.

 

A atividade foi realizada no dia 9 de Setembro. O debate abriu nossa manhã cultural às 10 horas da manhã. Ao término do debate, cinco salas, ornamentadas pelos próprios alunos, foram abertas para visitação e apresentação dos trabalhos.