A escrita em 1° lugar no ranking

Postado em 09/09/2019 por Stanley Mion.

Com informações de Professora Vanessa Juriatto Santos Pedroni.

Visualizado 109 vezes.


Cada vez mais, as instituições de ensino passam a adotar a nota do ENEM como processo seletivo de alunos. Adicione a este fato a cobrança por desempenhos cada vez melhores da média final na prova feita pelos inscritos na escola, que é obtida a partir da somatória da nota geral dos estudantes, dividida pelo número dos que fizeram a avaliação. Resultado? Uma pressão cada vez maior para o corpo docente lidar a cada ano.

 

Nesse contexto, muitas instituições têm dado atenção especial na preparação de alunos para se saírem bem na redação, uma das competências exigidas pelo Exame Nacional de Ensino Médio. Entre todas as provas aplicadas nesta avaliação, ela é a única em que as notas realmente valem de zero a dez. Nos demais cadernos, nos quais constam as questões objetivas, a pontuação é feita num método específico, que recebe o nome de Teoria da Resposta ao Item (TRI).

 

Partindo desse pressuposto, as aulas de redação no Centro Educacional São Camilo, ministradas pela professora Vanessa Juriatto S. Pedroni, nos 9°s anos, atribui esse saldo positivo a uma maior atenção dada ao preparo dos alunos para encarar a redação, no segundo dia de provas. Correções externas e internas e os rankings são duas das estratégias adotadas para melhorar a proficiência textual dos alunos, desde o nono ano do ensino fundamental.

 

Segundo a professora, a estratégia do ranking de redação entre os alunos tem os incentivado a aprimorar a escrita com o desejo de, também, “entrarem” no ranking, manter-se nele ou melhorar a posição. O gênero explorado é o mesmo cobrado na Redação ENEM, do tipo dissertativo-argumentativo, e é nítido o aprimoramento da escrita.

 

A Instituição parabeniza aos alunos envolvidos na atividade, bem como aqueles que têm se destacada a cada ranking.