Dia do Historiador comemorado com palestra sobre as origens de Cachoeiro de Itapemirim

Postado em 22/08/2017 por Gilliane Correia Wichello.

Com informações de Coordenação do curso de História.

Visualizado 305 vezes.


No dia 19 de agosto é comemorado o Dia do Historiador. A data foi sancionada em 2009 e reporta ao nascimento de Joaquim Nabuco, político abolicionista brasileiro.

 

Como nesse ano a data cairá em um sábado, o curso de História do Centro Universitário São Camilo – ES antecipou a comemoração da data para o dia 18 de agosto, próxima sexta feira.

 

Na ocasião, além de homenagens diversas, palestrará o professor João Eurípedes Franklin Leal, livre docente em Paleografia pela Universidade Federal do estado do Rio de Janeiro – UNIRIO, sobre a pesquisa histórica e as origens da colonização da região onde hoje se situa Cachoeiro de Itapemirim.

 

De acordo com a coordenadora do curso de História professora Jaqueline Ramalho, a programação é voltada para todos os profissionais da área de História do município e região, além de todas as pessoas em geral que se interessam pelo tema: “trata-se de uma comemoração para o Historiador cachoeirense, e não apenas para os estudantes de História. Por isso, todos os nossos ex-professsores, ex-alunos, formados em outras Instituições e interessados no tema estão convidados”. Ainda de acordo com a coordenadora, a noite guarda gratas surpresas aos interessados na História de Cachoeiro de Itapemirim.

 

O evento acontecerá no auditório Pe.Inocêncio Radrizzani, no Centro Universitário São Camilo – ES, Campus I, às 18h30.

 

João Eurípedes Franklin Leal.

O professor João Eurípedes Franklin Leal foi criado em Cachoeiro de Itapemirim, residindo há 36 anos no Rio de Janeiro. É livre docente em Paleografia pela Universidade Federal do estado do Rio de Janeiro, área na qual se especializou em universidades europeias após ter se graduado em Direito e em História na Universidade Federal do Espírito Santo. Hoje é professor visitante em Paleografia nas universidades de Lisboa, em Portugal, e Valladolid, na Espanha. O professor coordenou diversos projetos de interesse nacional na área de paleografia, de diversos órgãos como Ministério da Educação, Supremo Tribunal Federal, dentre outros.

 

O que é Paleografia?

Fundamental para a história, a Paleografia, estudo da escrita antiga, transcreve a caligrafia antiga e incompreensível para nossa grafia atual, possibilitando o acesso à informação contida na documentação. Ela decifra os documentos manuscritos.  Inserida em várias áreas, como Museologia, Biblioteconomia, Historia e Direito, no Brasil a paleografia está inserida como uma disciplina no curso de Arquivologia.[1]

 

 

 

 

[1] Informação em  http://www.arquivonacional.gov.br/noticias-arquivo/475-paleografia-o-que-e.html