Navegando no conhecimento...

Postado em 25/04/2013 por Renata Terra.

Com informações de Professora de Ciências, Kelly Siloti.

Visualizado 1190 vezes.


Você já imaginou o que é viajar para lugares distantes em embarcações frágeis e pequenas? Viajar em barcos lotados e com pouco espaço para os tonéis de água? Viajar sem nenhuma certeza do caminho? Pois bem, esses foram alguns dos desafios enfrentados pelos europeus durante as Grandes Navegações: conjunto de viagens de longa distância feitas pelos europeus durante os séculos XV e XVI.

 

Para velejar em alto mar, os europeus enfrentaram perigos reais e imaginários.

 

Os perigos imaginários eram muitos, como a crença de que a Terra era achatada como uma pizza, e que quem se afastasse muito do litoral cairia num abismo; ou de que na altura da linha do Equador as águas ferviam, incendiando os navios; ou ainda, de que o mar era habitado por monstros terríveis.

 

Entre os perigos reais, estavam os ventos desfavoráveis, os piratas, a ameaça de encalhe, a fome, a doença Escorbuto e a sede no interior dos navios.

 

Se era assim tão perigoso, por que, então, os europeus se lançaram às Grandes Navegações?

 

O motivo principal foi o desejo de conseguir as especiarias e os artigos de luxo orientais na fonte, isto é, no próprio Oriente.

 

Mas o príncipe regente e futuro rei de Portugal, Dom João, criou em 1808 o Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro com o objetivo de cultivar e reproduzir plantas que aqui não existiam. Esse período foi muito importante para o intercâmbio de alimentos.

 

Nessa época, cerca de 80% das receitas da culinária européia utilizavam pelo menos uma especiaria, por isso elas alcançavam altos preços e só os nobres podiam comprá-las.

 

Hoje em dia, o plantio dessas especiarias é feito em vários países, o que as torna menos raras e caras.

 

Foi com o objetivo de reproduzir um canteiro de ervas aromáticas e especiarias que os alunos do 4º ano foram à horta da escola, para, na prática, aprofundar-se nesse assunto tão interessante, que tanto nos encanta e desperta a curiosidade.

 

Confiram nossos pequenos agricultores em um momento pra lá de especial!