Variação linguística X Ensino de língua

Postado em 16/06/2016 por Gilliane Correia Wichello.

Com informações de Prof.ª Mariene Carolino.

Visualizado 791 vezes.


Os alunos dos 5º anos do Centro Educacional São Camilo estudaram, em Língua Portuguesa, as variantes da língua materna em determinados grupos existentes em uma sociedade. Em Geografia, eles estudaram as diferenças entre as regiões brasileiras em vários aspectos, puderam, então, por meio da atividade interdisciplinar, verificar como essas diferenças são refletidas na linguagem dos moradores das diferentes regiões.

 

Para isso, os alunos foram divididos em grupos e fizeram uma pesquisa mostrando como acontece a variação da linguagem no Brasil. A principal motivação foi tratar as variações linguísticas sem preconceitos, entendendo que o respeito às variedades linguísticas, muitas vezes, significa a compreensão da realidade vivida pelos grupos de falantes.

 

Essa forma de ensinar a língua materna foi muito interessante: desmistificando conceito de certo e errado, estabelecendo comparações entre as variações linguísticas, permitindo que o aluno vivencie outras maneiras de se expressar, ou seja, instrumentalizando-os para lidar com as diferenças sociais, econômicas e culturais, através da linguagem.

 

Sírio Possenti, (IEL-Unicamp), afirma que é fundamental considerar a distinção entre linguística e erro linguístico: “diferenças linguísticas não são erros, são apenas construções ou formas que divergem de um certo padrão”; “são erros aquelas construções que não se enquadram em qualquer das variedades de uma língua. ”

 

Ao apresentarem, para a turma, o resultado da pesquisa realizada, nossos alunos deram um show, mas é importante ressaltar que trabalhar a variação linguística, no ensino da língua, não significa o abandono do ensino da norma padrão, pelo contrário, a proposta aqui foi mostrar o repertório linguístico dos usuários da língua para que todos os seus falantes possam transitar tranquilamente nos momentos de interação.